ADDHU - Associação de Defesa dos Direitos Humanos
Avenida João Crisóstomo, nº 18, 5º esquerdo
1000-179, Lisboa
962904738

A ADDHU - Associação de Desfesa dos Direitos Humanos - fundada em 2006 por Laura Vasconcellos, é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento, reconhecida e registada pelo Instituto Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, Ministério dos Negócios Estrangeiros, como ONGD e Instituição de Utilidade Pública.com estatuto internacional e sem ligações politicas e/ou religiosas. Desenvolvemos projectos de Educação para os Direitos Humanos, Cooperação para o Desenvolvimento e Ajuda Humanitária a nível nacional e internacional, nomeadamente no Quénia e no Nepal, onde prestamos assistência  a crianças órfãs e vulneráveis, famílias e comunidades desfavorecidas que vivem em situação de pobreza extrema, melhorando as suas condições de vida e promovendo o seu desenvolvimento.

As nossas áreas de actuação centram-se no campo da defesa dos direitos humanos, combate à pobreza e cooperação para o desenvolvimento.

Acreditamos que a cooperação para o desenvolvimento e a ajuda humanitária são o primeiro passo, essencial, na defesa dos direitos e da dignidade humana. Planeamos todas as nossas acções e intervenções não numa perspectiva meramente assistencialista, mas numa perspectiva de empowerment das populações a quem prestamos assistência,  de modo a permitir o seu desenvolvimento duradouro e sustentável. Para isso, trabalhamos em estreita parceria com as comunidades que ajudamos, sempre atentos às suas necessidades.

A nossa Missão é dar assistência a crianças e famílias necessitadas, fomentar o desenvolvimento sustentável das comunidades que apoiamos, e promover a consciência da cidadania global no seio da população portuguesa, nomeadamente as camadas mais jovens.

O nosso objetivo é conceber, implementar e apoiar projetos de informação, educação e desenvolvimento para promover as liberdades e a proteção dos direitos dos cidadãos, no pleno respeito à Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Os projectos em curso são inteiramente suportados pelo cidadão comum que acredita que é possível fazer a diferença na vida daqueles que pouco ou nada têm. Até aos dias de hoje, não recebemos financiamentos de Governos ou de Agências e Instituições Internacionais.

NOTA:
A informação aqui disponibilizada é da inteira responsabilidade de cada uma das ONGD.